Causas Do Mau Hálito

Halitose – O Que é? Quais são as Causas?

halitose

Halitose (comumente chamada de “mau hálito”) é um termo médico usado para descrever qualquer odor desagradável no ar exalado pela boca ou pelo nariz. O termo deriva do latim halitos (ar expirado) e do grego ose (alteração patológica).

Na sociedade atual, a imagem e as relações interpessoais assumem especial importância. Neste contexto, quando um estímulo olfativo resulta desagradável ou não aprazível, é percebido como antiestético.

E a halitose é uma das causas do mau hálito.

Hoje em dia, o hálito é algo com que a população em geral se preocupa e valoriza, atribuindo-lhe uma importância crescente. Nos Estados Unidos, a halitose é apontada como o terceiro motivo mais frequente de visita ao dentista, depois da cárie dentária e da doença periodontal.

Embora muitas pessoas associem a halitose à manifestação de um problema físico, a maioria dos afetados incomodam-se mais com as suas consequências sociais.

De fato, a consciência de padecer de halitose provoca muitas vezes efeitos psicológicos relevantes. O espectro destes efeitos varia desde um pequeno impacto até ao transtorno total da vida do paciente.

Halitose – Terminologia

halitose

A halitose pode ser classificada em dois grupos, seja percebida ou não. Importante salientar que a maioria dos adultos padecem de halitose genuína ao despertar, que se enquadra na categoria da halitose transitória.

Trata-se de um problema temporário atribuído à redução do fluxo salivar durante o sono e ao jejum prolongado. Este tipo de halitose ocorre também com a ingestão de certos alimentos, como o alho e a cebola.

Halitose-Consequências psicológicas e sociais

Apesar de ser raro as pessoas partilharem com terceiros a sua preocupação em relação ao próprio hálito, tem-se confirmado ser um assunto com que a maior parte da população se preocupa. Num inquérito realizado no Japão a 3.290 pessoas, 20% reportaram sentir-se sempre nervosas em relação ao estado do seu hálito e 60% ocasionalmente. Apenas 20% dos inquiridos referiu nunca se preocupar com o seu hálito.

Uma evidência desta preocupação em relação ao hálito é o elevado consumo de enxaguantes bucais e chicletes, à venda em supermercados e farmácias. Um estudo americano apurou que, em 1994, o mercado destes produtos com ação desodorizante nos EUA gerou receitas superiores a 2 mil milhões de dólares. Um inquérito realizado apurou que cerca de 60% das mulheres e 50% dos homens usam produtos específicos para se livrar do mau hálito.

A consciência de ser paciente da halitose, real ou ilusória, provoca frequentemente um impacto comportamental, psicológico e emocional, que pode ter repercussões severas na qualidade de vida de uma pessoa (independentemente da cultura ou do meio social a que pertence).

Efeitos comportamentais

halitose

Um estudo científico pioneiro, efetuado por especialistas, observou vários efeitos comportamentais defensivos (para disfarçar a existência de halitose ou para minimizar o impacto nos outros) em indivíduos com consciência de ter mau hálito:

Limitação da comunicação oral (especialmente em lugares fechados)

Maior distanciamento interpessoal

Maior frequência de comunicação por sinais ou gestos

Cobertura da boca com a mão

Tempo de expiração mais curto

Verificou-se também outro tipo de comportamentos por parte daqueles que se preocupam com o seu mau hálito. Conscientes das implicações da halitose e numa tentativa desesperada de mascarar o odor e tornarem-se socialmente aceitos, estas pessoas escovam os dentes compulsivamente (mais que 5 vezes ao dia), usam repetidamente enxaguastes bucais e chicletes, e chegam até a fumar. No entanto, estas soluções são pouco eficazes devido à sua curta duração.

Efeitos psicológicos e emocionais

Estudos em amostras populacionais de grandes dimensões, demonstrou de forma inequívoca que a halitose restringe a vida social, aumenta a ansiedade, interfere com as relações íntimas, e diminui a felicidade global de um indivíduo.

Os efeitos psicológicos podem ir desde falta de confiança, baixa autoestima e constrangimento, até um aumento contínuo da ansiedade e do stress. Em alguns casos, aqueles que padecem de halitose são objeto de escárnio e de bullying continuado por parte daqueles que os rodeiam.

Muitos pacientes referem mesmo terem sido preteridos em promoções no emprego, e apontam consequências trágicas ao nível familiar como a separação conjugal.

Na principal base de dados médica americana (PubMed/Medline), encontram-se reportados alguns casos de pessoas que cometeram suicídio, referindo em vida a halitose como a maior perturbação nas suas vidas.

Uma evidência do impacto severo do mau hálito na qualidade de vida de uma pessoa é a remissão dos efeitos acima descritos após o tratamento bem sucedido.

Resultados do tratamento de um grupo de várias centenas de pacientes, prova que o tratamento eficaz da halitose resulta em vários efeitos benéficos.

Dados epidemiológicos

O mau hálito tem uma prevalência elevada na população e pode afetar qualquer sexo, idade, raça e condição socioeconômica.

Aproveito para deixar uma recomendação de leitura do artigo Acabar com o Mau Hálito de Vez.

About the author

Como Acabar com Mau Hálito

Leave a Comment